Por uma/duas

Retweet-cancella-retweet-cancella branco azul escolhi branco não sem sofrer em fortíssimo porque antes de eu sentar aqui fechei a porta da varanda pensando que antes do azul tenho que escrever depois de por acaso dar de cara com a Brum na fila pra um conto chinês que finalmente vou assistir quando finalmente estiver em Porto Alegre amanhã aí eu hesito mas não resisto e peço licença desculpe sou a fulana  e ela com aquele olhar  sim  e daí e tiro da bolsa Uma/duas pra um autógrafo num ato inaugural da tietagem mais humana e atrapalhada morta de vergonha gaguejo pra ela minha vida ficou mais fácil depois do teu livro porque tu já me disse sem confessar minha vida ficou terrivelmente mais difícil porque tenho que inventar uma outra mãe pra mão da minha história.

Escolhi não retuitar e tento achar a resposta pra por que não o fiz enquanto levanto pra finalizar o molho pro macarrão de daqui a pouco com os amigos e preparo já a brusqueta pensando em como minha mão pra cozinha transcendeu a receita caseira da minha mãe tudo bem que eu compro barilla na recusa em aceitar o espaguete caseiro amassado a punho com a farinha que vem do sul pra minha mãe tudo bem que eu faço o molho sem usar massa de tomate que usa minha mãe tudo bem que já ouso azeitar o espaguete depois de escorrido antes das folhas frescas de manjericão depois o molho que não é o da minha mãe tudo bem que eu tenho uma mão boa pra cozinha.

Tirei as mãos dela da minha cozinha faz tempo mas que diabos ainda faz feira pra mim conveniência gentileza disfarçadas de pano pra manga a lista o dinheiro ainda dá ou já acabou se for como a berinjela da semana passada pode ser se não nem traz o tomate maduro pra molho o resto nem  precisa porque viajo na outra semana em todo caso ovos pro omelete com alho poró alho o que eu gesticulo um deixa pra lá com a mão que é uma cebolinha metida à besta com a mesma mão que marca território da diferença impondo critérios a uma mãe de uma mão só que mal se mantém de pé sob o sol já abrasador das sete da matina.

Quero uma mãe e duas mãos novas pra ficção em que posso existir agradecida muito ténquiu Eliane Brum por uma/duas.

Anúncios

5 respostas para “Por uma/duas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: